Como montar uma sala de jantar

Montar a sala de jantar é uma das primeiras tarefas pela qual passamos quando vamos montar um apartamento ou uma casa. Para muitas famílias, este é o lugar de reunião familiar e onde as pessoas passam muitas horas juntas. Em construções mais recentes, este ambiente pode estar integrado com a cozinha ou com o living.

Espaço

O espaço destinado a esta área, deve ser apropriado à família em questão e então é preciso saber:

  • quantas pessoas moram nessa casa/apartamento
  • quantidade de pessoas que costuma/pretende receber
  • qual é o tamanho e o formato do espaço (retangular, quadrado, grande, pequeno)

Mobiliário

Depois de avaliar o espaço,  é hora de saber qual formato da mesa (retangular, quadrada, oval…) e qual posição ela vai se adequar melhor. E em seguida, qual o número de cadeiras a mesa irá comportar. Para que haja ergonomia e harmonia nesta união, devemos levar em consideração que:

  • A altura da mesa deve ser de 75 cm
  • Uma cadeira ocupa o espaço de 50 cm
  • Uma pessoa ocupa o espaço de 60 cm ou mais
  • Quem passa atrás da mesa precisa de pelo menos 60 cm de passagem
  • Uma pessoa que circula atrás da cadeira ocupada, precisa de 110 cm (ou mais) entre o tampo da mesa e as paredes ou móveis  (50 cm para a cadeira e 60 cm para a circulação)
  • No caso de portadores de necessidades especiais, o ideal é que a circulação minima seja de 150 cm
  • Quando não houver circulação, 80 cm até a parede é uma boa distância.
Ergonomia – Sala de Jantar | Mesas quadradas
Ergonomia – Sala de Jantar | Mesas redondas

Iluminação

Escolha a luminária e a lâmpada que valorizem a sensação de bem estar que a luz cria no ambiente.

  •  A iluminação para este ambiente deve ser mais intimista e informal
  • Um lustre pendente sobre a mesa pode dar mais aconchego e charme ao ambiente
  • Arandelas nas paredes podem funcionar como apoio e completar a iluminação geral
  • Pode utilizar forro de gesso com sanca iluminada
  • Dê preferencia a lâmpadas mais amarelas ou neutras (4200 K)

Todas estas informações também se aplicam a bares, cafés, padarias, restaurantes e espaços em que tenham mesas e cadeiras para refeições.

A maioria das informações são do Livro: Projetando Espaços: Guia de Arquitetura de Interiores para Áreas Residenciais, da Miriam Gurgel, 7° Edição.

Abaixo, algumas imagens de salas de jantar com estilos bem bacanas, decorações modernas e atuais.

Inspire-se! ♥

Sala de Jantar: mesa retangular com 1 banco (2 lugares) e 1 cadeira. Créditos: Revista Casa & Jardim

Sala de Jantar: mesa retangular com 4 cadeiras diferentes. Créditos: Casa de Valentina

Sala de Jantar: mesa retangular com 6 cadeiras. Créditos: Casa de Valentina

Sala de Jantar: mesa retangular com 6 cadeiras encostada na parede. Créditos: Juliana Pippi

Sala de Jantar: Mesa retangular com 6 cadeiras. Créditos: Studio Colnaghi

Sala de Jantar com mesa retangular e 6 cadeiras. Créditos: Bruno Carvalho e Camila Avelar

Sala de Jantar: Mesa redonda pequena. Créditos: Referans

Sala de Jantar/Copa com mesa redonda média. Créditos: Bruno Carvalho e Camila Avelar

Sala de Jantar: mesa oval com 8 cadeiras. Créditos: Casa de Valentina

>> Se você gostou deste post: curte, comenta e compartilha ♥

Decoração: Gosto x Necessidade

Você pode gostar de muitas coisas, mas é preciso saber se você realmente precisa delas. Ter um projeto é fundamental,  mas na hora da compra, principalmente dos itens decorativos, pode acontecer de se perder com tantas opções e novidades.

Por isso, a minha dica é: Um ambiente de cada vez. Observe os objetos com relação ao todo. Identifique a proporção que o produto que você está comprando irá tomar entre os objetos que você já tem e leve em consideração:

  • quem está envolvido no projeto / quem ocupa ou pode vir a ocupar o espaço
  • quais peças serão mantidas / o que tem no espaço
  • o que fica e o que pode ser alterado completamente
  • qual tipo de iluminação: direta, indireta, quente (mais amarelada) ou fria (mais branca)
  • hobbies, esportes, cores preferidas, estilo de vida

As cores pontuam o ambiente. Dica para as composições: Se está neutro, pense no colorido. Se está colorido, pense no neutro. O contraste das cores é importante para criar cenários.

  • As linhas horizontais, verticais ou inclinadas podem proporcionar sensações de acordo com suas formas. O olho humano tende a se fixar numa linha e percorrê-la até o fim. Por isso, muitas linhas em várias direções criam um ambiente confuso. É importante haver equilíbrio e simetria em cada parte
  • Nos móveis:  Linhas orgânicas (arredondadas) podem ser combinadas com linhas retas
  • Nos metais: evite misturar cores metálicas
  • Tons de madeira não precisam ser idênticos, mas eles devem interagir entre si, os vidros também

Tente unir: qualidade, utilidade e beleza.

Abaixo, imagens (via Pinterest) de decorações que mostram bem como é importante ter harmonia entre as cores, as texturas, as formas, brilho e elementos que dão vida e conforto ao ambiente.


Se estiver com dificuldades para fazer suas escolhas, contrate um designer de interiores para ajudá-lo, mas não deixe de se envolver na escolha dos detalhes que vão compor e dar personalidade aos ambientes da sua casa. Conforto é necessário, estética é gosto. Podem estar separados, mas é sempre melhor quando conseguimos unir os dois.

Travesseiros

Como organizar os travesseiros

O lugar mais íntimo da casa é o quarto e um dos elementos que merecem bastante atenção são os travesseiros.
Você sabe como pode organizá-los?! De acordo com a marca americana Matouk temos 10 formas de distribuir os travesseiros na cama:

Como organizar travesseiros

Mas eu adoro ver como as pessoas organizam seus travesseiros e expressam sua personalidade ao compor o quarto. Afinal, nosso quarto é o nosso cantinho pessoal e nele está a nossa essência. A forma como organizamos mostra se somos bagunceiros ou organizados. Alguns preferem a cama cheia de travesseiros, outros preferem um ou dois no máximo… Um item tão pessoal e que vai fazer diferença na decoração. Talvez seja isso que esteja faltando no seu quarto.

Abaixo, algumas imagens super inspiradoras do Instagram:

Agora você já pode correr pro quarto, olhar para os travesseiros com outros olhos… e ver se não está faltando aquele toque pessoal na sua cama.

Inspire-se!

Conduíte

O que é Conduíte

Está totalmente relacionado com a parte elétrica da sua casa. Uma parte que não vemos, mal sabemos que existe, mas é de fundamental importância para passar os fios elétricos que ficam por dentro das paredes.

“O procedimento, alerta a montadora em comunicado, envolve segurança, pois uma não conformidade no conduíte do chicote da tampa traseira pode não garantir a durabilidade ideal do item.Folha de São Paulo, 31/05/2011″

O conduíte facilita a manutenção elétrica e ajuda a evitar possíveis choques. O tipo mais recomendado é o de PVC (100%reciclável). Por ser um material flexível, resistente a umidade e isolante térmico, pode evitar que pegue fogo na fiação elétrica.

Na construção civil, é obrigatório seu uso, tendo que seguir as normas da ABNT.

O conduíte de PVC pode durar até 20 anos!

 

Forro de Gesso ou Forro de PVC

Diferenças, vantagens e desvantagens entre Forro de Gesso e Forro de PVC

Na hora de escolher o forro para casa, aparece a seguinte questão:

>> GESSO OU PVC <<

Existem outras opções, mas estas são as mais usadas, então como escolher entre estes dois modelos e qual é o melhor custo-benefício?

• Forro de Gesso •

forro de gesso

O forro de gesso proporciona um visual mais moderno e sofisticado, garantindo versatilidade na instalação da iluminação, conforto térmico e acústico.

É um material leve, instalado em uma base de metal com chapas parafusadas, em seguida recebe a pintura. A iluminação é preparada antes da instalação do gesso, e só depois de instalado os fios são distribuídos a cada ponto de luz.

O custo fica em torno de R$ 48,00 o m², com instalação.

O lixo do gesso deve ser separado dos demais lixos da obra, assim como o lixo hospitalar e deve ter o destino correto, indicado pela prestadora de serviço. Ou seja, isto também deve estar incluído no orçamento.

• Forro de PVC •

forro de pvc

O PVC (cloreto de polivinila) é um material plástico que se obtém a partir de duas matérias primas naturais: o petróleo (43%) e o sal (57%). Tem ganhado espaço por ser reciclável e por apresentar novas padronagens.

É um material que não causa dano, não propaga chama, proporciona isolamento térmico, elétrico e acústico. É resistente a corrosão, além de ser extremamente leve. Fácil manutenção, não precisa de grandes estruturas para sua instalação e a sujeira na montagem é miníma.

O custo fica em torno de R$ 15,00 o m², sem instalação, com instalação o custo fica em torno de R$ 30,00 o m².